Psicologia x Sã Doutrina

A psicologia estuda o comportamento humano, (grosseiramente falando.)

Para mim é o esforço da ciência em compreender as facetas da alma humana. Não quero desmerecer o empenho de muitos psicólogos sinceros mundo a fora mas sei que alguns são levianos e desconhecem a Sã Doutrina  da Palavra de Deus. Alguns psicólogos como Mark W. Baker ou Augusto Cury conhecem e tentam conciliar as duas doutrinas as vezes da certo as vezes não, por se tratar de um ensinamento terreno e outro celeste divergem em vários pontos.

As doenças psicológicas

Para a psicologia as doenças que se manifestam na mente e de cunho estritamente psicológico podem ser tratadas com terapias ou medicamentos mas nunca sanadas ou curadas definitivamente. recorrentemente ressurgem, as vezes deixando sequelas pela própria enfermidade em si ou pelo tratamento.

As doenças na bíblia

Na sagrada Escritura principalmente nos Evangelhos percebemos ou ganhamos a noção de que todas as doenças tem um cunho espiritual, por exemplo vemos Jesus curando toda sorte de enfermidades e todo mal! SIM todo MAL e não só isso! vemos o próprio Salvador conferindo poder aos seus discípulos para fazer o mesmo.

Eu mesmo tive sintomas de síndrome do pânico durante mais de um ano e sempre apresentei a Deus em Jesus minhas súplicas, pela misericórdia de Deus, Jesus me curou.

Não estou aqui para dizer o que você deve ou não fazer. Estou como um anunciador de boas-novas do Reino para te dizer que o seu caso tem solução, procure sempre um profissional, se não resolver procure Jesus de Nazaré e ore a ele de todo coração em busca da sua cura ou da pessoa por quem você intercede até o SENHOR Jesus lhe responder com a intervenção que você precisa. Jesus não vai deixar sequelas, Jesus não vai deixar um tratamento, o SENHOR Jesus irá te deixar a cura quando não, o poder de curar através da oração de intercessão.

leia o trecho bíblico a seguir:

Marcos 9:14-29 Nova Versão Internacional (NVI-PT)

A Cura de um Menino Endemoninhado

14 Quando chegaram onde estavam os outros discípulos, viram uma grande multidão ao redor deles e os mestres da lei discutindo com eles. 15 Logo que todo o povo viu Jesus, ficou muito surpreso e correu para saudá-lo.

16 Perguntou Jesus: “O que vocês estão discutindo?”

17 Um homem, no meio da multidão, respondeu: “Mestre, eu te trouxe o meu filho, que está com um espírito que o impede de falar. 18 Onde quer que o apanhe, joga-o no chão. Ele espuma pela boca, range os dentes e fica rígido. Pedi aos teus discípulos que expulsassem o espírito, mas eles não conseguiram”.

19 Respondeu Jesus: “Ó geração incrédula, até quando estarei com vocês? Até quando terei que suportá-los? Tragam-me o menino”.

20 Então, eles o trouxeram. Quando o espírito viu Jesus, imediatamente causou uma convulsão no menino. Este caiu no chão e começou a rolar, espumando pela boca.

21 Jesus perguntou ao pai do menino: “Há quanto tempo ele está assim?”

“Desde a infância”, respondeu ele. 22 “Muitas vezes esse espírito o tem lançado no fogo e na água para matá-lo. Mas, se podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos.”

23 “Se podes?”, disse Jesus. “Tudo é possível àquele que crê.”

24 Imediatamente o pai do menino exclamou: “Creio, ajuda-me a vencer a minha incredulidade!”

25 Quando Jesus viu que uma multidão estava se ajuntando, repreendeu o espírito imundo, dizendo: “Espírito mudo e surdo, eu ordeno que o deixe e nunca mais entre nele”.

26 O espírito gritou, agitou-o violentamente e saiu. O menino ficou como morto, ao ponto de muitos dizerem: “Ele morreu”. 27 Mas Jesus tomou-o pela mão e o levantou, e ele ficou em pé.

28 Depois de Jesus ter entrado em casa, seus discípulos lhe perguntaram em particular: “Por que não conseguimos expulsá-lo?”

29 Ele respondeu: “Essa espécie só sai pela oração e pelo jejum[a]”.